Saúde Animal

Saude Animal

Saúde Animal

Bichon Bolonhês




caes_logo

bolonhezgrupo 9 – Cães de Companhia; seção 1.1.1. – Bichons e Raças Assemelhadas; padrão 196; país de origem: Itália; nome de origem: Bolognese; utilização: companhia.

É parente do maltês, e o mais provável é que descenda dele. Não foi exposta nenhuma outra teoria a este respeito, pois a bibliografia italiana e a estrangeira, dão escassas notícias sobre este gracioso cão de luxo. De qualquer maneira, esta fora de dúvida, que o seu país de origem é a Itália e mais precisamente, a cidade de Bolonha, que lhe deu o nome, sendo as suas origens remotas: já nos séculos XI e XII eram apreciados especialmente pela graça e beleza.

Em 1668, Cosme de Médicis enviou à Bélgica oito pequenos cães bolonheses e encarregou o coronel Alamanni que os oferecera em seu nome a alguma notabilidade de Bruxelas. Isto confirma , uma vez mais, o valor deste cão que naqueles tempos constituía um presente refinado, de bom gosto, muito em voga no ambiente diplomático. Quadros célebres retratam cães de aspecto muito parecido com o bolonhês atual, com a diferença de que antes a cor era quase sempre o banco e preto, enquanto que hoje se exige que a pelagem seja rigorosamente branca.

destaque_bichonPADRÃO DA RAÇA: Bruno Tausz

ASPECTO GERAL: de pequeno porte, tronco conciso e compacto, revestido de pelagem branco puro, longo e rebelde.

Proporções importantes: de construção quadrada, pelo qual a altura na cernelha é igual ao comprimento do tronco. A cabeça é mais para curta em relação ao tronco.
Comportamento e caráter: muito sério, aparentemente pouco vivaz. Criativo, dócil, apegado a seus companheiros até a abnegação.

CABEÇA: mesocefálica, seu comprimento total corresponde a 1/3 da altura na cernelha. Mais para larga nas arcadas zigomáticas.
Crânio: formato um pouco ovoidal no sentido sagital, mais para achatado na região dorsal, as paredes mais para convexas e os seios frontais bem desenvolvidos.
As linhas superiores do crânio e focinho são paralelas, sulco sagital pouco acentuado, occipital pouco marcado. O comprimento do crânio é levemente maior que o do focinho. A largura do crânio, medido nas arcadas zigomáticas é igual a seu comprimento.
Stop: bem acentuado.

REGIÃO FACIAL:

Trufa: no mesmo alinhamento da cana nasal, visto de perfil sua face anterior fica na vertical. Volumosa e de cor absolutamente preta.
Focinho: seu comprimento é igual a 2/5 do comprimento total da cabeça. A cana nasal é reta, as faces laterais são paralelas, e a face anterior do focinho é bem quadrada. A região sub-orbital é bem cinzelada.
Lábios: os superiores são pouco desenvolvidos na altura, razão pela qual não recobrem os inferiores e a linha inferior do focinho é determinada pela mandíbula.
Maxilares: de desenvolvimento normal, com as arcadas perfeitamente articuladas.
Dentes: brancos, alinhados regularmente, completamente desenvolvidos e completos. Articulação dos incisivos em tesoura, tolerada em torquês.
Olhos: de inserção frontal, bem abertos de tamanho superior ao normal. O contorno das pálpebras se desenha redondas de pigmentação rigorosamente preta, sem que os olhos sejam proeminentes, nem a esclerótica visível. A cor da íris dos olhos é ocre escuro.
Orelhas: de inserção alta, acima das arcadas zigomáticas, longas e pendentes, mas com a base mais para rígida, tanto que a parte superior do pavilhão auditivo é desencostada do crânio, dando, assim, a sensação que a cabeça seja mais larga do que realmente é.

PESCOÇO: sem barbelas e de comprimento igual ao da cabeça.

TRONCO: de construção quadrada, o comprimento do tronco, medido da ponta do ombro à ponta da nádega, é igual à altura na cernelha.
Linha superior: dorso reto, lombo levemente arqueado, fundindo-se em harmonia com a linha superior da garupa.
Cernelha: um pouco elevado acima da linha superior em virtude da distância entre as pontas das escápulas.
Tórax: amplo e profundo ao nível dos cotovelos e a metade da altura na cernelha, com costelas bem arqueadas.
Peito: a ponta do esterno pouco evidente.
Linha inferior: após o esterno a linha do abdome é um pouco recolhida.
Garupa: muito pouco inclinada e muito larga.

CAUDA: inserida sobre a linha da garupa é portada recurvada sobre o dorso.

MEMBROS ANTERIORES: vistos em conjunto, estão perfeitamente aprumados e paralelos.
Ombros: de comprimento igual a 1/4 da altura na cernelha e bastante oblíquas em relação à horizontal e tendem ao paralelismo com o plano medial do tronco. De movimentação fluente.
Braço: de comprimento quase igual ao da escápula, são menos inclinados e trabalham bem rente ao tórax.
Cotovelos: trabalham num plano paralelo ao plano medial do tronco.
Antebraço: de comprimento igual ao do braço e perfeitamente aprumados.
Carpo e metacarpo: visto de frente, no mesmo prumo do antebraço. Visto de perfil, os metacarpos são um tanto fletidos.
Patas: formato oval, com unhas e solas muito duras e de cor preta.

MEMBROS POSTERIORES: vistos por trás, são aprumados com a ponta da nádega e paralelos.
Coxas: de comprimento igual a 1/3 da altura na cernelha. São bem anguladas e paralelas.
Pernas: mais longas que as coxas.
Jarretes: com angulação tibio-társica não muito fechada.
Metatarsos: a altura até a ponta dos jarretes é levemente menor que 1/3 da altura na cernelha.
Patas: seguem as mesmas características das anteriores, sendo menos ovais.

MOVIMENTAÇÃO: fluente, vigorosa e porte alto da cabeça.

PELE: bem esticada e amoldada ao corpo com todas as mucosas externas, bem como, as almofadas plantares são pretas.

PELAGEM:
Pêlo: longo por todo o corpo, da cabeça à cauda, da linha dorsal às patas. Mais curto sobre a cana nasal. Preferivelmente rebelde e, portanto não assentado, mas em tufos, jamais forma franjas. Branco sem qualquer mancha ou tonalidade.

TALHE:
altura na cernelha: machos de 27 a 30 cm;
fêmeas de 25 a 28 cm.

peso: de 2,5 a 4 quilos.

NOTA: os machos devem apresentar dois testículos de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.

FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deverá ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade.

FALTAS ELIMINATÓRIAS DO JULGAMENTO: ausência acentuada do paralelismo de crânio focinho; cana nasal romana; prognatismo se deforma o aspeto exterior do focinho; altura inferior aos 25 cm ou superior aos 33 cm nos machos e inferior aos 22 e superior aos 32 nas fêmeas.

DESQUALIFICAÇÕES: retrognatismo (prognatismo superior); despigmentação da trufa, pigmentação bilateral das pálpebras de qualquer outra cor que não o preto; olhos porcelanizados; anurismo ou braquiurismo seja natural ou artificial; qualquer cor, na pelagem, diferente do branco – manchas ou nuances – monorquidismo criptorquidismo – deficiência de desenvolvimento de um ou dos dois testículos e de acomodação na bolsa escrotal.

Lúcia Helena Salvetti De Cicco
Diretora de Conteúdo e Editora Chefe