Saúde Animal

Saude Animal

Saúde Animal

Bichon Frisé




caes_logo

bichon4ORIGEM

O BICHON FRISÉ é uma das variedades da raça Bichon, que compreende o MALTÊS, O BOLÔNES E O HAVANA. As diferenças entre eles foram surgindo com o decorrer do tempo e dos lugares onde foram sendo criados. Não há certeza da origem do Bichon. Acredita-se que o BARRET (Caniche) e o MALTÊS. O BICHON FRISÉ – (Bicho em francês significa preparar-se com vaidade e Frisé significa encaracolado) – possui um parentesco muito próximo com Maltês e Poodle, e as três foram cruzadas entre si, durante muito tempo.

Registros históricos narram que, por volta do século XII, pequenos cães brancos de pelo longo, eram, na Europa, dados como presente e lembranças. Companheiros e muito resistentes, foram tendo aceitação, especialmente na Espanha (onde eram chamados de TENERIFFE) e na França. Neste país, na corte de Henrique III (1547/1589), eram mimados e enfeitados a tal ponto que teriam originado o verbo bichonner, que em francês significa “enfeitar”.

Os italianos descobriram esses cães durante o Renascimento, mas foram os franceses que, posteriormente, reivindicaram a origem do BICHON. O acréscimo FRISÉ foi sugerido por Denise Nizet de Leemans, em 1964, um ano depois da adaptação oficial da raça. Nos Estados Unidos, o primeiro casal chegou em 1956, e a raça foi reconhecida em 1972. São, atualmente, depois da Bélgica e França, os maiores criadores de Bichon Frisé do mundo. No Brasil a raça foi introduzida em 1978, com um casal trazido dos Estados Unidos pela criadora Sônia Ehlermann.

CARACTERÍSTICAS GERAIS

bichon2O Bichon Frisé é o mais típico dos cães de companhia que existe. Em nenhum momento da história ele foi utilizado para outro fim, que não o de cão de companhia. Ele é incapaz de matar um presa, não tem a menor habilidade para buscar um pássaro, não se presta ao trabalho, nunca tem atitudes de um cão de luxo, e como cão de guarda é o ideal para deixar o ladrão entrar. Tudo porque o traço fundamental de sua personalidade é a doçura, a sensibilidade, a sutileza no dar e receber. Consegue, até a velhice, manter as características de um filhote. Está sempre investigando, correndo pela casa, fazendo brincadeiras. Brinca bem sozinho, mas prefere a companhia de pessoas para brincar. É muito social, alegre, simpático, meigo, bastante afeiçoado ao dono, com porte majestoso.

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS

bichonCão robusto, vivo, de temperamento estável, com movimentação elegante, com estilo e ar de dignidade e inteligência. Pequeno, focinho de comprimento médio, pelagem longa, muito solta, enrolada em cachos, portando cabeça alta; olhos escuros, vivares e expressivos.

TALHE-

Altura máximo de 30 cm – Nunca inferior a 20 cm. (Menor tamanho é ponto de valorização)

Comprimento – padrão não comenta

Peso – padrão não comenta

PELAGEM

Fina, sedosa, ondulada, com subpelo, muito solta, enrolada em cachos, de 7 a 10 cm. Tosa – patas e focinhos ligeiramente aparados. Os olhos devem ficar à mostra, pois conferem uma aparência mais cheia e arredondada à cabeça e ao corpo. Pés trimados também adquirem aparência arredondada. Quando completamente escovado, o Bichon Frisé adquire aparência mais cheia. Os filhotes podem ser apresentados com pelagem curta, porém, o mínimo exigido para os adultos é uma pelagem com 5 cm de altura (ideal de 07 a 10 cm).

COR-

Branco puro – sólido. A pele é escura, preferivelmente pigmentada em preto, azulado ou bege, inclusive os órgãos sexuais. Aceita-se manchas creme, abricó ou cinza, numa proporção de no máximo 10% de coloração.

CABEÇA

CRÂNIO – É mais longo que o focinho, plano, ainda que pareça arqueado por causa da pelagem.

STOP – Ligeiramente acentuado

OLHOS – Inserção frontal, médio/ grande e contorno das pálpebras escuro, formato arredondado, tendendo para o amendoado, ocultando a esclerótica.

ORELHAS – Longas, e quando medidas, atingem até metade do focinho; largura e espessura moderada, portadas caídas, voltadas para afrente, com a borda anterior tocando as faces. Bem revestidas de pelagem e finamente frisada.

FOCINHO – comprimento e volume moderados, bochechas secas e moderadamente musculosas.

TRUFA – preta, arredondada, de textura fina e brilhante.

LÁBIOS – finos, bem ajustados, ocultando a lábio inferior o suficiente para não mostrar a mucosa. Normalmente pigmentados de preto, até a comissura labial.

MORDEDURA – em tesoura.

TRONCO

PESCOÇO – muito longo com posição alta e arrogante , 1/3 do comprimento do tronco

DORSO – padrão não comenta

LOMBO – largo, bem musculado e ligeiramente arqueado

COSTELAS – flutuantes, arredondadas, terminando suavemente.

PEITO – bem desenvolvido, bem profundo, esterno pronunciado.

VENTRE – com aparência esgalgada.

GARUPA – ligeiramente arredondada.

MEMBROS

OMBROS – bem inclinados, não proeminente, escápula medindo em torno de 10 cm de comprimento, igual ao do úmero.

ANTERIORES – vistos de frente são retos, bem agrupados de ossatura fina, metacarpos, curtos, retos; vistos de perfil são levemente inclinados.

POSTERIORES – são bem angulados, coxas largas e bem musculadas, com o jarrete mais angulado.

PATAS – pés juntos e redondos, semelhantes as patas de gatos; sendo as unhas preferivelmente pretas.

CAUDA

Inteira, inserida pouco abaixo da linha superior, portada erguida acima da linha superior e graciosamente curvada, sem tocar o dorso, sendo, que, apenas a pelagem pode cair sobre o dorso.

DESQUALIFICAÇÕES

Além das gerais, salientamos;

Prognatismo, ou prognatismo superior, quando os incisivos não se tocam.

Trufa rosa.

Lábios cor de carne.

Olhos claros.

Cauda enrolada ou torcida em hélice.

Manchas pretas na pelagem.

Albinismo. Como se trata de um cão branco, para se verificar se não é albino, observa-se cor da pele, que deverá apresentar manchas escuras. As almofadas plantares e trufas, bem como os olhos deverão ser preta.

CLASSIFICAÇÃO FCI: GRUPO N.º 9 SEÇÃO – 1.A PADRÃO – N.º 215 b

Data da Publicação: 10 de Janeiro de 1972

País de origem: França

Nome do País de Origem: BICHON FRISÉ

Utilização: Companhia

Fonte: Tausz, Bruno – Manual de Exposições – Enciclopédia Canina – Manual de Cinofilia

CUIDADOS COM O BICHON FRISÉ

bichon2Deve-se dar apenas ração de boa qualidade e água. Algumas das rações industrializadas encontradas no mercado tem balanceamento perfeito para o organismo do cão, suprindo todas as suas necessidades, não sendo necessário administrar complementos alimentares tais como vitaminas, sais minerais, aminoácidos, etc..

PELAGEM

Para mantê-la bonita e saudável é necessário dispender duas horas semanais, no mínimo, entre escovações banho e secagem. Caso contrário, ela ficará embolada e sujeita a abrigar pulgas e outros parasitas.

PELE

É muito sensível, como geralmente acontece com animais de pele clara, sendo muito afeto ás alergias e irritações comuns, que causam feridas e levam á queda de pelos no local, se não forem tratadas adequadamente. O médico veterinário poderá fazer orientação adequada a cada caso.

OLHOS

Devem ser limpos com água boricada, com frequencia, pois a raça pode apresentar (embora não seja comum) excesso de lacrimação, conhecido como dacriocistite. É bom trimar a região para que os pelos não invadam os olhos, causando irritação ou inflamações.

OUTROS CUIDADOS

bichon3A raça não se dá bem em temperaturas elevadas, contudo o ar condicionado tende a fazer o pelo do animal cair. Em regiões quentes, aconselha-se que o cão fique em ambientes frescos (pode-se usar ventilador), ou em lugares sombreados com boa ventilação natural.

Mantenha os ouvidos do Bichon sempre limpos, o que se faz com uma haste flexível com algodão umedecido com álcool, pois suas orelhas compridas e caídas são propensas á infecções (otite).

VACINAS E VERMÍFUGOS

Sempre vacine seu animal em Clínicas Veterinárias, pois somente elas tem acesso às vacinas de primeira linha, que são realmente eficazes. Nunca aplique vacinas compradas em loja de ração ou pet shop, pois nem sempre são de primeira linha e , principalmente, nem sempre são armazenadas como devem (a temperatura do armazenamento deve estar entre 2º C e 8º). Além disso, o médico veterinário antes de aplicar a vacina, examina o animal, que deverá estar em perfeitas condições de saúde, e detectará eventuais problemas.

Leve regularmente seu animal ao veterinário, siga suas instruções quanto á alimentação, desvermifugação e vacinas; assim, seu bichinho terá uma vida mais saudável e bem longa.

De extrema importância para a vida de seu cão, a vacinação visa a proteção dele contra as mais variadas doenças infecto – contagiosas. Para ser bem sucedida, a vacinação deve ser SERIADA, isto é, deve existir um esquema de vacinação que comporte várias doses de vacinas, em especial o esquema endereçado ao filhote. Depois da série completada, basta repetir uma vez por ano. Isto se deve ao fato dos animais não responderem do mesmo modo, e ao mesmo tempo á imunidade proposta pela vacinação: um esquema de doses múltiplas serve para proteger todos indivíduos, desde os mais precoces até os mais tardios. Além disso, o animal a ser vacinado deve gozar de excelente saúde , estar livres de parasitas e permanecer de quarenta até 15 dias após a última dose do esquema. O reforço da vacina anula o perigo de contágio de doenças infecto- contagiosas ,e volto a repetir, é imprescindível para a boa saúde do animal.

Consulte seu veterinário para o esquema de desverminação, que deverá ser feita periodicamente. Vermes e parasitas debilitam seu bichinho, podendo, inclusive, levá-lo à morte.

As fotos foram fornecidas pelo Canil Lakeside

Lúcia Helena Salvetti De Cicco
Diretora de Conteúdo e Editora Chefe