Saúde Animal

Saude Animal

Saúde Animal

Cão do Canaã – Cannan Dog




caes_logo

canaan_dog3O Cão de Canaã de Israel é um sobrevivente. Já era utilizado como cachorro guardião dos Israelitas antigos. A raça quase foi extinta quando os romanos invadiram a região a mais de 2000 anos atrás. A partir desta data, com a cidade destruida os cães se espalharam e se tornaram selvagens.

A raça foi redescoberta em 1935 pela Dra. Rudolphina Menzel, Cinóloga e professora da área de psicologia comparativa na Universidade de Tel Aviv na Palestina. A Força de Defesa israelita estava procurando um cachorro de serviço que poderia trabalhar em condições de deserto e pediram ajuda para Dr. Menzel. Ela começou a trabalhar com raças européias, mas logo os abandonou a favor dos cachorros indomados com as habilidades de sobrevivência admiráveis.

canaan_dog2O primeiro cão de Canaã de Menzel era Dugma, um macho preto e branco que ficou selvagem por mais de seis meses de idade. Porém, uma vez capturado foi domesticado depressa. Dra. Menzel pegou muitos Cães de Canaã em toda a Palestina e treinou muitos para servir como detectores de minas, farejadores de soldados feridos, e sentinelas durante Segunda Guerra Mundial. Depois da guerra israelita para independência em 1948, Dra. Menzel passou a ajudar pessoas que ficaram cegas e criou a primeira escola da nação para pessoas cegas com um programa utilizando os cães de Canaã como cães de guia.

Raça autóctone da Palestina, o Cão de Canaã é usado em Israel como cão guardião, de defesa e pastoreio. Durante os numerosos conflitos que se tem sucedido nesta região, foi um auxiliar de grande valor para o exercício israelita, como cão mensageiro e defesa.

O Cão de Canaã chegou aos EUA em 1965 quando a Dra Menzel enviou quatro cachorros a Ursula Berkowitz na Califórnia. A raça foi progredindo lentamente nos anos seguintes. Foi reconhecido pelo United Kennel Club em 1992 e pelo American Kennel Club em 1997; em seu primeiro ano como uma raça de AKC, os donos registraram 410 cães de Canaã adultos e 11 filhotes.

canaan_dogPADRÃO DA RAÇA – Bruno Tausz

Padrão FCI nº 273 / 01.09.1997/ P.
Data da Publicação do Padrão Original Válido: 28-11-1985
Origem: Israel;
Nome de origem: ;
Utilização: .
Classificação FCI — – grupo 5 – Cães Spitz e Tipo Primitivo;
– Seção 6 – Tipo Primitivo.
Sem prova de trabalho.;

ASPECTO GERAL – um cão de porte médio, bem proporcionado, forte e quadrado, lembrando um cão to tipo selvagem. Forte distinção de sexualidade.
– –
TALHE – altura na cernelha: 50 – 60 cm.
Machos podem ser consideravelmente maiores que as fêmeas.
– – comprimento: (padrão não comenta).
– peso: 18 – 25 kg.
– –
TEMPERAMENTO – alerta, de reações rápidas, desconfiado para com estranhos, fortemente defensivo mas não naturalmente agressivo. Vigilante, não só com os humanos mas também com outros animais. Extraordinariamente devotado e fácil de treinar.
– –
PELE – (padrão não comenta).
– –
PELAGEM – Pêlo: pelagem externa densa, dura e reta, de comprimento curto para médio. Subpêlo cerrado e profuso.
– –
COR – areia até o ruivo-marrom, branco, preto, ou com pontos, com ou sem máscara. Se for mascarado, a máscara deve ser simétrica. Máscara preta é permitida em todas as cores. Marcas brancas são permitidas em todas as cores: padrão « Boston Terrier f é comum. Cinza, tigrado e preto-e-castanho ou tricolor são inaceitáveis. Areia do deserto, dourado, ruivo e creme são as mais típicas da raça.
– –
CABEÇA – bem proporcionada, moderadamente cuneiforme de comprimento médio, parecendo larga devido à inserção baixa das orelhas.
Crânio – um tanto achatado. Algumas larguras conferindo, em potência, cabeças de macho.
Stop – suave mas definido.
Focinho – robusto, de comprimento e largura moderados.
Trufa – preta
Lábios – ajustados
Mordedura – maxilares fortes. Dentadura completa com mordedura em tesoura ou torquês.
Olhos – marrom escuro, levemente oblíquos, amendoados. Orla das pálpebras escura é essencial.
Orelhas – eretas, relativamente curtas e largas, levemente arredondadas nas pontas e de inserção baixa.
– –
PESCOÇO – musculoso de comprimento médio.
– –
TRONCO – figura quadrada.
Cernelha – bem desenvolvida.
Dorso – nivelado
Peito – profundo e de largura moderada.
Costelas – bem arqueadas.
Ventre – bem esgalgado.
Lombo – musculoso
Garupa – (padrão não comenta).
– –
MEMBROS
Anteriores – membros perfeitamente retos.
Ombros – inclinados e musculosos.
Braços – (padrão não comenta).
Cotovelos – trabalhando bem ajustados rente ao tórax.
Antebraços – (padrão não comenta).
Carpos – (padrão não comenta).
Metacarpos – (padrão não comenta).
Patas – fortes, redondas e como as dos gatos com almofadas plantares duras.
– –
Posteriores – poderosos, moderadamente angulados. Equilíbrio das angulações é essencial.
Coxas – fortes, levemente emplumada.
Joelhos – bem angulados.
Pernas – (padrão não comenta).
Metatarsos – (padrão não comenta).
Jarretes – bem curtos.
Patas – fortes, redondas e como as dos gatos com almofadas plantares duras.
– –
Cauda – de inserção alta, cerdas rijas portada enrolada sobre o lombo.
– –
Movimentação – trote rápido leve e enérgico. Revela agilidade marcante e resistência. Movimentação correta é essencial.
– –
Faltas – avaliadas conforme a gravidade.
– –
DESQUALIFICAÇÕES – as gerais.
– –
NOTA: os machos devem apresentar dois testículos de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.

Lúcia Helena Salvetti De Cicco
Diretora de Conteúdo e Editora Chefe