Saúde Animal

Saude Animal

Saúde Animal

Cão de Castro Laboreiro




caes_logo

laboreiro2A origem do cão de Castro Laboreiro perde-se no tempo. Típica raça portuguesa, o seu nome provém da aldeia de Castro laboreiro; está difundida na região correspondente aos montes de Peneda e Soajo, estre os rios Minho e Lima.

É um lupóide de tipo mastim. Leal e dócil com o dono e mostra-se guardião ideal, capaz não só de enfrentar mas também de agredir aos grandes lobos que ainda infestam aquelas montanhas. Por isso é empregado amplamente para proteger as ovelhas e o gado.

laboreiro1Padrão da raça – Bruno Tausz

Padrão FCI nº 170.
Origem: Portugal;
Nome de origem: Cão de Castro Laboreiro;
Utilização: guarda e boiadeiro.
Classificação FCI -grupo 2 – Pinscher, Schnauzer, Molossos e Boiadeiros Suíços;
seção 2.2.2. – Molossos, Tipo Montanhês;

laboreiro3ASPECTO GERAL – lupóide, tipo mastim, tendendo ao rectilíneo, vigoroso de índole nobre, expressão severa, rude e a rusticidade de montanhês. Movimentação fluente, ágil e nervoso, Tem um ladrar característico, muito alto, começando em tons variáveis, mas em geral graves, e terminando em agudos prolongados como que uivantes.
– –
TALHE – altura na cernelha: machos de 55 a 60 cm. fêmeas de 52 a 57 cm.
– comprimento: (padrão não comenta).
– peso: (padrão não comenta).
– –
TEMPERAMENTO – (padrão não comenta).
– –
PELE – (padrão não comenta).

PELAGEM – pêlo grosso, resistente, um tanto áspero ao tato, ligeiramente fosco, liso, bem assente em quase toda a superfície do corpo e muito denso; predomina o pêlo curto (5 cm, aproximadamente) em quase todos os exemplares. Mais curto e denso na cabeça, orelhas, onde é fino e macio e nas extremidades: metacarpos e jarretes abaixo, longo e denso nas nádegas e cauda, ao longo da face ventral, maior no terço medial.

COR – mais comum é o lobeiro (cor suave, pastel) nas suas tonalidades, claro, médio e escuro. Excepcionalmente, podem aparecer no mesmo indivíduo estas três variedades em regiões diferentes: o lobeiro escuro na cabeça, dorso e cernelha, o lobeiro médio no tórax, garupa e coxas e o lobeiro claro no ventre, terço distal dos membros e culotes. A preferida é a cor do monte.
– –
CABEÇA – tamanho médio, aspecto leve, seca, sem ser magra, bem guarnecida de tegumento sem rugas, longa quase do tipo retilíneo.
Crânio – moderadamente desenvolvido e ligeiramente projetado; sulco sagital quase inexistente; perfil quase reto. Crista occipital pouco perceptível.
Stop – pouco acentuado, e situado a uma distancia maior do osso occipital do que da ponta do focinho.
Focinho – longo, forte, direito em toda a sua extensão, adelgaçando gradualmente para a ponta mas sem chegar a ser estreito ou pontiagudo.
Trufa – preta, narinas bem pronunciadas, grandes, corretas e bem abertas.
Lábios – profundidade média, secos, bem ajustados, comissuras pouco perceptíveis, mucosa, palato e orla, lábios pretos, fortemente pigmentadas.
Mordedura – dentadura completa, bem adaptados e bem inseridos em maxilares poderosamente musculados.
Olhos – inseridos obliquamente, rente à superfície da pele ovais, tamanho médio bem abertos, castanho claro ate o escuro, quase preto, conforme a cor da pelagem. Expressão rude e severa.
Orelhas – de tamanho médio (12 x 12 cm ), pouca espessura quase triangular, pontas arredondadas de inserção um pouco acima da média, naturalmente pendentes bem rente às faces. Em atenção, a face externa fica voltada para a frente.
– –
PESCOÇO – reto, bem constituído, curto, de diâmetro proporcional, bem inserido ao tórax e duma boa inserção cefálica o que faculta um porte altivo à cabeça. Sem barbelas.
– –
TRONCO – .
Cernelha – (padrão não comenta).
Dorso – horizontal e de comprimento moderado.
Peito – em ogiva, largo e profundidade moderada.
Costelas – (padrão não comenta).
Ventre – ligeiramente retraído.
Lombo – forte, largo, curto e bem musculado, passando harmoniosamente para a garupa.
Garupa – suavemente inclinada.
– –
MEMBROS
Anteriores – bem desenvolvidos; de aprumos retos; músculos poderosos;
Ombros – angulação escápuloumeral quase 90°.
Braços – com exuberante massa muscular.
Cotovelos – (padrão não comenta).
Antebraços – retos, um tanto cilíndricos, diminuindo o volume gradualmente.
Carpos – (padrão não comenta).
Metacarpos – (padrão não comenta).
Patas – proporcionais à corpulência e mais para arredondadas que longas, tendendo para a o pé de gato. Dígitos grossos, arqueados, corretamente direcionados para a frente e bem unidos. Almofadas plantares grossas e sola dura; unhas bem proeminentes, pretas ou cinzento escuro, lisas, rijas, engastamento moderado.
– –
Posteriores – ossatura bem desenvolvida e bem guarnecida por músculos poderosos;
Coxas – com exuberante massa muscular um tanto cilíndrica, moderadamente larga e angulada.
Joelhos – .
Pernas – .
Metatarsos – angulação tibio-társica moderada em ângulo medianamente obtuso.
Jarretes – um pouco inclinados para a frente.
Patas – proporcionais à corpulência e mais para arredondadas que longas, tendendo para a o pé de gato. Dígitos grossos, arqueados, corretamente direcionados para a frente e bem unidos. Almofadas plantares grossas e sola dura; unhas bem proeminentes, pretas ou cinzento escuro, lisas, rijas, engastamento moderado. Podendo apresentar ergôs simples ou duplos.
– –
Cauda – de inserção, mais alta do que média, longa e grossa na base pelagem exuberante ao longo da face ventral; comprimento até a ponta do jarrete, quando em repouso; porte elegante, naturalmente pendente, em sabre, quando excitado, a cauda ultrapassa a linha dorsal, eleva-se, para diante e um pouco para o lado, mas nunca para baixo em trompa.
– –
Movimentação
– – rítmica e fluente com os membros deslocando-se paralelamente ao plano sagital do corpo. O passo normal e, às vezes, o passo travado.
– –
Faltas – avaliadas conforme a gravidade.
1. cabeça – muito volumosa, ossuda ou carnuda, muito estreita, longa e pontiaguda;
2. olhos – gázuos ou desiguais;
3. orelhas – de inserção atípica, muito grandes, carnudas e redondas (orelhudos);
4. surdez – congénita ou adquirida.
5. trufa – de qualquer cor que não seja a preta;
6. maxilares – prognatismo ou micrognatismo;
7. cauda – em trompa, rudimentar, amputada ou não existente;
8. corpulência – muito alem ou muito aquém do normal (gigantismo ou nanismo);
9. pelagem – malhada ou diferindo muito do tipo racial, albinismo
– –
DESQUALIFICAÇÕES – as gerais.
– –
NOTA: os machos devem apresentar dois testículos de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.

Lúcia Helena Salvetti De Cicco
Diretora de Conteúdo e Editora Chefe