Saúde Animal

Saude Animal

Saúde Animal

Cão pelado Mexicano




caes_logo

Xolotlzcuintle

peladoÉ um cão nu, isto é desprovido de pêlo. Está particularmente difundido no México; mais ou menos numeroso, é encontrado também na Argentina, Chile e outros países da América do Sul e América Central.

A origem do pelado mexicano é muito antiga; já antes da conquista européia os indígenas alimentavam-se com a sua carne, que era muito apreciada. Consideravam-no representante do deus Xolotl (de quem deriva evidentemente o seu nome), divindade que, de acordo com a concepção religiosa daqueles povos, tinha a missão de guiar as almas dos mortos aos lugares do seu destino eterno.

No estado da Colima, em túmulos recentemente descobertos encontraram-se efígies humorísticas de argila polida, que representam cães muito parecidos aos xolotlzcuintle atual.

pelado_padraoPADRÃO DA RAÇA: Bruno Tausz

Padrão FCI nº 234 / 22-05-1995 / P.
Origem: México;
Nome de origem: Xoloiztcuintle;
Utilização: Variedade Standard : Cão de guarda e proteção.
Variedade Miniatura : Cão de companhia.
Classificação FCI — – grupo 5 – Cães Spitz e Tipo Primitivo;
– Seção 6 (Cães tipo primitivo)
a) Variedade Standard
b) Variedade Miniatura
Sem prova de trabalho.

pelado1ASPECTO GERAL – é muito atrativo: sua característica principal é a ausência total ou quase total de pêlo com pele suave e ajustada. Seu corpo é bem proporcionado com peito amplo e tórax espaçoso, membros longos e cauda longa. Sua conformação recorda ao Manchester Terrier.
– –
PROPORÇÕES – o tronco é ligeiramente mais longo em relação a sua altura. Aproximadamente de 10:9, permitindo-se as fêmeas ligeiramente mais longas que os machos. Os cães longilíneos de membros curtos devem ser penalizados.
– –
TALHE – altura na cernelha:
a) Variedade Standard: de 35 a 58 cm aceitando-se até 60 cm.
Os exemplares maiores se desqualificam.
b) Variedade Miniatura : (ou de piso) mede 35 cm como máximo.
– – comprimento: (padrão não comenta).
– peso: (padrão não comenta).
– –
TEMPERAMENTO – é silencioso e tranqüilo, alegre, alerta e inteligente, desconfiado com os estranhos, bom guardião e excelente companheiro.
– –
PELE – devido à ausência total de pêlo, a pele desta raça adquire grande importância; é lisa, muito sensível ao toque, e mais quente como resultado de uma emanação de calor direta a diferença das raças com pêlo, nas quais o calor se dispersa através da ventilação natural; portanto a pele requer maiores cuidados, por carecer de proteção natural, ao estar exposta ao sol e às inclemências do tempo. Não se penaliza as cicatrizes acidentais. O cão pode transpirar pelas patas (almofadas e membranas interdigitais) pelo que quase não fica ofegante.
– –
PELAGEM – a característica desta raça é a ausência total de pêlo no corpo (cão desnudo); ainda que apresente alguns pêlos hirsutos curtos e densos na frente na nuca de qualquer cor, que nunca devem alcançar nem o comprimento nem a suavidade do topete do Cão de Crista Chinês ou Tai-Tai. É usual encontrar pelo áspero nas patas e ao final da cauda; se não existir no deve ser penalizado. Os espécimens de pelo longo são desqualificados.
– –
COR – prefere-se as cores uniformes sólidas e escuras. A gama varia do negro, cinza enegrecido, cinza louza, cinzas escuro, avermelhado, fígado, bronze ou ruivo; também se apresentam manchados em qualquer cor incluindo manchas em branco.
– –
CABEÇA – visto de cima, é larga e forte porém muito elegante, adelgaçando-se para o focinho.
Crânio – do tipo lupóide; , com a crista occipital pouco marcada.
Stop – Ligeiro porém bem definido com as linhas superiores crânio-focinho quase paralelas.
Focinho – visto de perfil é reto, com a maxila e a mandíbula muito fortes.
Trufa – deve ser bem escura nos cães escuros, rosa ou café nos exemplares bronze ou ruivos e manchada nos cães manchados.
Lábios – modelados e ajustados. Bochechas ligeiramente desenvolvidas.
Mordedura – os incisivos devem ocluir perfeitamente com mordedura em tesoura; o prognatismo superior e inferior (retrognatismo) assim como desvios dos maxilares considera-se faltas muito graves. Não se penaliza a ausência de pré-molares e molares.
Olhos – são de tamanho mediano e de forma amendoada com expressão alerta e sumamente inteligente; a cor varia de acordo com a cor da pele, em tons pretos, café, castanho, âmbar ou amarelo. Prefere-se o mais escuro possível e os dois da mesma cor. As pálpebras são pigmentadas de preto, café ou cinza, permitindo-se as pálpebras claras ou rosadas, sem que seja o mais apropriado.
Orelhas – as orelhas são longas, grandes, expressivas, muito elegantes e de textura delicada; recordam as orelhas de morcego. Sempre portadas eretas em estado alerta; nesta posição seu eixo deverá ter uma inclinação de 50° a 80° em relação a uma linha horizontal. Não se aceitam os exemplares com orelhas cortadas ou caídas: devem ser desqualificados.
– –
PESCOÇO – portado alto. Proporcionalmente longo. Delgado, flexível, bem musculado, ligeiramente arqueado e sumamente elegante. A pele do pescoço é firme, elástica e ajustada, sem barbelas. Os cachorros (filhotes) apresentam rugas que desaparecem com a idade.
– –
TRONCO – fortemente construído.
Linha superior – do dorso parece perfeitamente reta; são indesejáveis os exemplares com o dorso cedido (lordose) ou carpeado (xifose) nem longelíneo de membros curtos.
Cernelha – parece pouco marcada.
Dorso – retilíneo;
Peito – visto de perfil é largo e profundo, descendo até o cotovelo. Visto de frente o antepeito tem boa amplitude; a quilha do esterno não é proeminente.
Costelas – ligeiramente arqueadas, nunca planas
Ventre – bem recolhido.
Lombo – forte e musculoso.
Linha inferior – elegantemente marcada, começando pela parte inferior do peito e terminando na retração ventral, a qual é musculosa e bem recolhida.
Garupa – o perfil superior da garupa é levemente convexo; sua inclinação forma um ângulo aproximado de 40°; de conformação sólida, musculosa e levemente arredondada.
– –
MEMBROS
Anteriores – vistos de frente são retos, bem aprumados, proporcionados ao corpo e de bom comprimento.
Ombros – planos e musculosos com boa angulação escápuloumeral que permite um passo largo, fluente e elegante.
Braços – (padrão não comenta).
Cotovelos – firmes ajustados ao tórax, nunca salientes.
Antebraços – (padrão não comenta).
Carpos – (padrão não comenta).
Metacarpos – (padrão não comenta).
Patas – as patas são alongadas (pata de lebre) com os dedos recolhidos e compactos; apresentam pêlos hirsutos; as unhas são curtas e de cor preta nos exemplares escuros e mais claras nos cães bronze ou ruivos. As almofadas plantares são fortes e muito resistentes a qualquer terreno. As membranas interdigitais são bem desenvolvidas.
– –
Posteriores – vistos por atrás parecem perfeitamente retos e paralelos; coxas Os jarretes unidos são fortemente penalizados.
Coxas – largas e fortemente musculadas nunca juntas. As angulações coxofemorais, são amplas, indispensáveis para permitir uma ação livre e poderosa aos membros.
Joelhos – As angulações de joelho são amplas, indispensáveis para permitir uma ação livre e poderosa aos membros.
Pernas – (padrão não comenta).
Metatarsos – As angulações tíbio-társicas são amplas, indispensáveis para permitir uma ação livre e poderosa aos membros.
Jarretes – (padrão não comenta).
Patas – as patas são alongadas (pata de lebre) com os dedos recolhidos e compactos; apresentam pêlos hirsutos; as unhas são curtas e de cor preta nos exemplares escuros e mais claras nos cães bronze ou ruivos. As almofadas plantares são fortes e muito resistentes a qualquer terreno. As membranas interdigitais são bem desenvolvidas; os ergôs devem ser amputados de todos os membros.
– –
Cauda – de inserção baixa, longa, fina e inteira com alguns pêlos hirsutos; prolongando-se até os jarretes e adelgaçando-se para a ponta; em ação é portada alegremente elevada em forma curva, nunca enroscada sobre o dorso. Em repouso é caída terminando em um gancho ligeiro. Em algumas ocasiões a coloca entre as pernas para o ventre, sendo este um sinal de timidez.
– –
Movimentação de acordo com as angulações, deve deslocar-se com passos elegantes, largos e flexíveis; trote rápido, desenvolto com a cabeça e cauda sempre alta.-
– –
Faltas – avaliadas conforme a gravidade.
Cabeça muito larga; tronco muito largo; caráter tímido ou agressivo. Despigmentação exagerada (albinismo); pelo em outras regiões não especificadas; pele frouxa, solta e enrugada; barbela; presença de ergôs; olhos claros, redondos e esbugalhados; cauda curta; corpo muito longo com membros curtos.
– –
DESQUALIFICAÇÕES – as gerais e mais:
– cães com capa de pelo em todo o corpo;
– orelhas cortadas ou caídas;
– prognatismo superior ou inferior (retrognatismo);
– topete longo e suave como no Cão de Crista Chinês;
– exemplares maiores que 60 cm;
– cauda cortada.
– –
NOTA: os machos devem apresentar dois testículos de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.

Lúcia Helena Salvetti De Cicco
Diretora de Conteúdo e Editora Chefe