Saúde Animal

Saude Animal

Saúde Animal

Como lidar com compulsão por lambedura




caes_logo

A compulsão por lambedura é o ato repetitivo de lamber as patas ou o rabo. Alguns cães ainda lambem parede, chão, objetos e partes do corpo de pessoas (mão, pé etc.). O problema pode ser físico (nutricional, hormonal, por exemplo) ou experimental (exposição ou falta de exposição a algum estímulo social e/ou ambiental). Desta forma, o cão precisa ser avaliado primeiro por um médico veterinário para realizar um diagnóstico diferencial.

No caso do problema ser comportamental, podemos observar se houve mudança na rotina (nascimento de bebê, falecimento de familiar, introdução de novo animal na casa, se ele fica sozinho por muito tempo, se está passeando menos etc.) que tenha causado mais ansiedade, medo ou estresse. Tudo isso faz com que o cão comece a ter comportamentos repetitivos, por não conseguir extravasar.

Tédio, falta de atividade física e mental também geram ansiedade e estresse. O cão, naturalmente, tem energia para caçar, brincar e correr. Se não dermos a possibilidade do cão realizar essas atividades, podemos causar estresse e ansiedade que levarão à compulsão. Alguns cães de trabalho tem tendência a compulsão: labradores e golden retrievers (que ficam com objetos na boca e buscam sem parar), border collies (pastoreiam incansavelmente). Por isso, o dono precisa possibilitar vazão dessa compulsão através de muita atividade.

Além disso, temos que observar também se os donos estão reforçando o comportamento de lambedura. O cão se lambe para limpar as patas de vez em quando. Se o dono fala, pega na pata, faz carinho, o cão aprende que o ato de se lamber chama a atenção e vai passar a realizar o comportamento quando quer carinho.

Para amenizar a compulsão por lambeduras, o dono precisa primeiro eliminar todas as fontes que podem estar reforçando o comportamento (dar bronca, falar, conversar, dar petisco ou brinquedo, na hora em que ele se lambe). Exercícios físicos como caminhada, corrida, agility, natação, buscar objetos podem contribuir para a melhora. Além disso, podemos introduzir o adestramento que é uma atividade mental. Existem também brinquedos inteligentes que podem amenizar a ansiedade e o tédio – garrafa PET com buracos e recheada com petisco, esconder petiscos pela casa para que o cão procure etc. Assim, ele vai passar horas procurando a guloseima, brincando, passeando, podendo melhorar a compulsão por lambeduras.

E lembre-se: consulte sempre um profissional para uma melhor orientação para o caso específico do seu animal.

Texto: Tatiane Ichitani (adestradora e consultora de comportamento da Cão Cidadão)
Revisão e edição: Alex Candido