Saúde Animal

Saude Animal

Saúde Animal

Chesapeake Bay Retriever




caes_logo

chesapeake2Existem diversas teorias sobre a origem desta raça; a mais sólida talvez seja a seguinte: no ano de 1807, um navio inglês encalhou frente à costa de Maryland; a tripulação foi salva pelo barco estadunidense Canton e com ela dois terranovas jovens: um macho de cor vermelha escura, chamado Sailor, e uma fêmea preta, chamada Canton em homenagem ao barco salvador, Estes dois cães foram dados à gente do lugar, que também hospedou os náufragos e demonstraram possuir grandes qualidades para a cobrança. Muitos retriever locais foram cruzados com Sailor e Canton, mas não é seguro que estes tenham-se cruzado entre si; alguns asseguram, por outro lado, que interveio sangue otterhound, mas há razões para duvidar, já que o Chesapeake não apresenta nenhuma aptidão para a busca. É mais lógico pensar que o retriever de pêlo longo e o de pêlo crespo provocaram, se houve cruzamento, esta fusão: de fato é que em 1885 estabeleceu-se definitivamente a permanência das características, e o Chesapeake Bay retriever difundiu-se amplamente pelas suas apreciáveis características de versatilidade e resistência.

chesapeakePADRÃO DA RAÇA: Bruno Tausz

Padrão FCI nº 263.
Origem: Grã-Bretanha;
Nome de origem: Cheasapeake Bay Retriever;
Utilização: recolhedor de caça.
Classificação FCI – grupo 8 – Cães Recolhedores, Levantadores e d’Água; – seção 1. – Recolhedores;
– Com prova de trabalho.-

destaque_chesapeakeASPECTO GERAL – igualmente habilidoso tanto na água quanto em terra, o Chesapeake Bay Retriever desenvolveu-se ao longo da Bahia de Chesapeake para caçar aves aquáticas sob os mais diversos climas ou temperatura de águas, tendo, freqüentemente, que quebrar o gelo durante o percurso de retrieveres muito ativos. No seu trabalho, o Chesapeake tem que, encarar o vento, a correnteza e nadar em águas frias. As características, desejadas para a raça, têm o objetivo de habilitar a resistência; e a eficiência, para as funções do Chesapeake. O crânio é largo e redondo com stop médio. Os maxilares são longos e fortes o suficiente para transportar o produto da caça de pássaros grandes com uma pegada suave e delicada. A pelagem dupla é formada por pêlos curtos, ásperos e ondulados e subpêlos densos, finos e lanosos contendo oleosidade natural sendo ideal para suportar o clima gelado e inóspito no qual trabalha. No tronco é bem equilibrado, poderosamente construído de talhe e medidas médias como também nos membros, peito profundo e largo, ombros construídos para trabalhar com plena liberdade de movimento e sem tendências à debilidade em qualquer de suas virtudes, particularmente nos posteriores. Essa potência, entretanto, não deve ser consumida pela agilidade e pela resistência. Talhe e substância não devem ser excessivas por ser este um serviço de recolha da caça em meio naturalmente agreste.
As características particulares incluem os olhos muito claros, amarelados ou de tonalidade âmbar, posteriores da mesma altura ou ligeiramente mais altos que a cernelha e uma pelagem dupla tendendo à ondulação apenas nos ombros, pescoço, dorso e lombo.
O Chesapeake é valorizado pela sua disposição alegre e brilhante, sua inteligência, tranqüilo bom senso, e índole protetora e afetuosa. Tendência à timidez ou agressividade extremas são indesejáveis tanto para caça quanto para a companhia.
– –

PROPORÇÕES
MEDIDAS APROXIMADAS: Centímetros
Comprimento da cabeça, da trufa ao occipital 24,5   a  25,5
Perímetro da cabeça junto às orelhas 44,8   a  47,0
Focinho abaixo dos olhos 25,5   a  27,0
Comprimento das orelhas 10,0   a  12,5
Largura entre as olhos 05,6   a  06,1
Perímetro do pescoço junto aos ombros 44,8   a  49,3
Perímetro do lombo 53,5   a  56,0
Comprimento do occipital à raiz da cauda 76,2   a  78,5
Perímetro dos anteriores nos ombros 25,5   a  27,0
Perímetro das coxas 42,5   a  44,8
Distância entre as orelhas sobre o crânio 11,2   a  13,5
Distância do occipital àcernelha 20,1   a  21,2
Distância entre os cotovelos por cima dos ombros 56,0   a  58,2

TALHE – altura na cernelha: machos 58,5 à 66 cm; fêmeas 53,5 à 61 cm.
– Exemplares fora das medidas devem ser severamente penalizados.
– proporções: a altura na cernelha é ligeiramente menor que o comprimento da ponta do esterno ao ísquio. A profundidade do tórax deve atingir, no mínimo, o nível dos cotovelos. Os cotovelos estão à meia altura do cão na cernelha.
peso:
– – comprimento: (padrão não comenta).
– peso: machos de 30 a 36,200 quilos; fêmeas de 25 a 32 quilos.
– –
TEMPERAMENTO – brilhante e bem disposto com expressão inteligente. Coragem, avidez pelo trabalho, atenção, faro, inteligência, paixão pela água em geral mas, principalmente, a pré-disposição deve ser primordial na seleção da raça Chesapeake Bay Retriever.
– –
PELE – (padrão não comenta).
— –
PELAGEM – curta e grossa, em parte alguma maior que 2,5 cm, com subpêlo denso e lanoso. Nas faces e nos membros muito curta e reta com tendência à ondulação apenas nos ombros, pescoço, dorso e lombo. São permitidas franjas moderadas na face posterior das coxas e na cauda.
A textura da pelagem é muito importante uma vez que é utilizado para a caça sob os mais adversos climas, trabalhando, freqüentemente, na neve e no gelo. A oleosidade da pelagem áspera e a lanosidade do subpêlo são extremamente importantes para evitar que a água fria atinja sua pele e facilite a secagem rápida. A pelagem do Chesapeake deve ser resistente à água da mesma forma que as penas e as plumas do pato. Ao sair da água e sacudir-se, a pelagem não deve reter água alguma, ficando meramente úmida.
– –
COR – deve ser o mais semelhante possível ao ambiente no qual está trabalhando. Qualquer tonalidade de marrom, palha ou degrade é aceitável, a cor uniforme é preferida. Cor alguma é preferencial à outra. Uma mancha branca no antepeito, ventre, dígitos ou atrás das patas (logo atrás da almofada plantar) são permitidas mas, quanto menor a mancha, melhor, a cor uniforme é preferida. Tanto a cor da pelagem quanto a sua textura devem ser levadas em consideração no julgamento tanto nos bench (1) quanto nas pistas. Cicatrizes de honra (2) não devem ser penalizadas.
– –
CABEÇA – expressão inteligente.
– Crânio – largo e redondo.
– Stop – médio.
– Focinho – quase do mesmo tamanho que o crânio, afinando em ponta sem ser aguda.
– Trufa – moderadamente curta.
– Lábios – finos, sem serem pendentes.
– Mordedura – preferencialmente em tesoura mas, aceita em torquês.
– Olhos – de tamanho médio, muito claros, de cor amarelada ou âmbar e inseridos bem separados.
– Orelhas – pequenas, de inserção alta, cartilagem de média espessura e portadas pendentes e soltas.
– –
PESCOÇO – de comprimento médio com aparência robusta, musculosa e afinando dos ombros.
– –
TRONCO – de comprimento médio, nem atarracado nem carpeado mas, talvez aproximando-se de selado.
– Linha superior – deve apresentar os posteriores da mesma altura ou ligeiramente mais altos que a cernelha.
– Cernelha – (padrão não comenta).
– Dorso – curto, com o lombo curto e poderoso.
– Peito – forte, profundo e amplo. Costelas em barril redondas e profundas.
– Costelas – (padrão não comenta).
– Ventre – bem esgalgado.
– Lombo – (padrão não comenta).
– Garupa – (padrão não comenta).
– –
MEMBROS
Anteriores – sem tendências a debilidade. Membros de comprimento médio e retos, exibindo boa ossatura e musculatura. Os membros anteriores, vistos pela frente ou por trás, se apresentam retos.
– Ombros – bem angulados proporcionando completa liberdade de ação, bastante poderoso e sem restrições ao movimento.
– Braços – (padrão não comenta).
– Cotovelos – (padrão não comenta).
– Antebraços – (padrão não comenta).
– Carpos – (padrão não comenta).
– Metacarpos – ligeiramente angulados e de comprimento médio. Os polegares anteriores podem ser removidos.
– Patas – As palmas das patas anteriores devem ser de lebre e de bom tamanho com dígitos bem arqueados e compactos.
– –
Posteriores – de boa estrutura são essenciais. Os posteriores devem mostrar-se retos, vistos por trás ou pela frente. Devem apresentar-se cheios, com a mesma potência dos anteriores. Sem tendência à debilidade. É necessário que sejam especialmente potentes para suprir a propulsão ou a capacidade de natação. Os membros são de comprimento médio e retos, exibindo boa ossatura e musculatura.
– Coxas – (padrão não comenta).
– Joelhos – bem angulados.
– Pernas – (padrão não comenta).
– Metatarsos – (padrão não comenta).
– Jarretes – de tamanho médio. Os ergôs, se existentes, devem ser removidos.
– Patas – de lebre e de bom tamanho com dígitos bem arqueados e compactos.
– –
Cauda – de comprimento médio; grossa na raiz. A cauda é reta ou ligeiramente curvada, sem ser enrolada sobre o dorso ou lateralmente torta.
– –
Movimentação – suave, fluente e sem esforço, passando a impressão de grande força e poder. Visto de perfil, deve exibir bom alcance sem restrições de movimento nos membros anteriores e muita propulsão nos posteriores, com boa flexão de joelhos e articulação dos jarretes. Vindo na nossa direção, não deve apresentar indícios de expulsão de cotovelos. Por trás, não deve apresentar indícios de jarrete de vaca. Conforme a velocidade aumenta as patas tendem a convergir para a linha do centro gravitacional.
– –
Faltas – avaliadas conforme a gravidade.
– –
Faltas graves – (padrão não comenta).
– –
DESQUALIFICAÇÕES – as gerais e mais:
1. exemplares carentes de características rácicas;
2. prognatismo superior ou inferior;
3. ergôs nos posteriores;
4. pelagem encaracolada ou com tendência a enroscar por todo o corpo.
5. franjas nos membros ou cauda maiores que 2,5 cm;
6. cor preta;
7. manchas brancas em qualquer parte do corpo exceto no antepeito, ventre, dígitos ou atrás das patas.
– –
NOTA: os machos devem apresentar dois testículos de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.

Lúcia Helena Salvetti De Cicco
Diretora de Conteúdo e Editora Chefe