Saúde Animal

Saude Animal

Saúde Animal

Drever




caes_logo

drever3O schwedische Dachsbracke, comumente chamado drever, é um sabujo de grande qualidade, excelente para todo tipo de caça: raposas, lebres, javalís. Possui um excelente olfato e boa voz; esta última é uma condição sumamente importante.

Sobre as origens da raça não existem notícias precisas. Pertence, evidentemente, ao grupo de bassets difundido por toda Europa central e paises escandinavos, cujo tipo difere dos bassets franceses.

O seu standard foi redigido em 1947: é, portanto, oficialmente, uma das raças suecas mais jovens, embora derive de cães mais antigos. O drever Klubben sueco foi e é muito ativo.

drever4PADRÃO DA RAÇA: Bruno Tausz

Padrão FCI nº 130 /10-12-1996 / P.
Data da Publicação do Padrão Original Válido: 12-05-1980
Origem: Suécia;
Nome de origem: Drever;
Utilização: Sabujo.
Classificação FCI — grupo 6 – Sabujos e Cães de Pista de Sangue;
Seção 1.3 – Cães tipo sabujo de porte pequeno.
Com prova de trabalho.

drever2ASPECTO GERAL – é um cão baixo em estatura com a escápula relativamente longa, mais forte e robusto que nobre e veloz. Bem constituído, com musculatura bem desenvolvida, deve estar sempre alerta. A diferencia entre sexos deve ser evidente.
– –
TALHE – altura na cernelha: machos de 38 cm de à 32 cm.
fêmea de 36 cm à 30 cm.
– – comprimento: (padrão não comenta).
– peso: (padrão não comenta).
– –
TEMPERAMENTO – alerta, tranqüilo, não agressivo, nervoso, nem tímido.
– –
PELE – (padrão não comenta).
– –
PELAGEM – Pêlo: áspero, liso e pegado. Na cabeça, orelhas e parte inferior de as extremidades, é mais corto. No pescoço, ombros e parte posterior das coxas devem ser mais longos. Debaixo de a cauda é cerdoso, porém sem formar pluma.
– –
COR – Com excepção do fígado e o branco, permite-se todas as cores em combinação com marcas brancas. As manchas brancas devem ser visíveis, visto de frente, de lado e de atrás. Devem aparecer como lista e colar completo assim como em as extremidades, patas e ponta de a cauda.
– –
CABEÇA – proporcionalmente grande, alargada, estreitando-se à frente.
Crânio – levemente arqueado.
Stop – ligeiramente marcado.
Focinho – bem desenvolvido com maxilares fortes. Visto de cima ou de perfil, não deve ser pontiagudo. A cana nasal deve ser reta ou ligeiramente convexa.
Trufa – preta com narinas amplas, bem desenvolvidas.
Lábios – bem ajustado às mandíbulas, cobrindo os dentes. A comissura deve estar bem fechada.
Mordedura – mordedura em tesoura.
Olhos – o olhar deve ser claro e expressivo; não devem ser proeminentes nem com olhar fixo; cor pardo escuro. As pálpebras devem ser delgadas e bem ajustadas.
Orelhas – de comprimento médio, amplas, caem aprumadas com a borda inferior arredondada; colocadas proporcionalmente baixas, o borda interior pegado a as bochechas.
– –
PESCOÇO – moderadamente longo e musculoso, se insere bem suavemente nos ombros, sem formar barbela.
– –
TRONCO –
Linha superior – forte e musculosa; inclina-se ligeiramente desde a cernelha até a garupa.
Cernelha – (padrão não comenta).
Dorso – (padrão não comenta).
Peito – bem desenvolvido, ovalado; o ponto mais baixo do peito deve ser claramente mais baixo que os cotovelos.
Costelas – As últimas costelas devem estar bem desenvolvidas.
Ventre – ligeiramente retraído.
Lombo – forte e comparativamente curto.
Linha inferior – A linha inferior do tórax se insere paulatinamente no ventre, que é ligeiramente retraído.
Garupa – larga, larga e ligeiramente inclinada. Vista de perfil, se arredonda ligeiramente até a parte posterior.
– –
MEMBROS
Anteriores –
Ombros – escápulas longas, amplas e musculosas com a ponta bem desenvolvida, ajustadas ao tórax. Vista de perfil, a escápula deve formar em um ângulo de, aproximadamente, 50° com o plano horizontal.
Braços – proporcionalmente longos e amplos, ajustados ao peito, porém flexíveis e formando um ângulo de 100° com o eixo longitudinal da escápula.
Cotovelos – direcionados para atrás.
Antebraços – retos e de ossos fortes. Visto de frente, o antebraço forma uma linha reta com o carpo e o metacarpo.
Carpos – Fortes
Metacarpos – visto de perfil, é elástico e ligeiramente obliquo.
Patas – sólidas, direcionadas para a frente com dígitos fechados. Almofadas duras e bem desenvolvidas.
– –
Posteriores – Vistos por trás, aparecem retos e paralelos.
Coxas – vistas de perfil, devem ser largas e musculosas.
Joelhos – bem angulados
Pernas – (padrão não comenta).
Metatarsos – curtos e quase verticais. Sem ergôs.
Jarretes – vistos por atrás e de perfil, devem ser largos e robustos.
Patas – sólidas, direcionadas para a frente com dígitos fechados. Almofadas duras e bem desenvolvidas.
– –
Cauda – larga, grossa na raiz. É preferível que a porte pendente; pode ser portada mais alta porém nunca sobre o dorso.
– –
Movimentação – balanceada, com movimentos de longo alcance, combinados com uma linha de dorso firme. Os membros anteriores e posteriores devem ser paralelos quando em movimento.
– –
Faltas – avaliadas conforme a gravidade.
– –
DESQUALIFICAÇÕES – as gerais.
– –
NOTA: os machos devem apresentar dois testículos de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.

Lúcia Helena Salvetti De Cicco
Diretora de Conteúdo e Editora Chefe