Saúde Animal

Saude Animal

Saúde Animal

Elkhound Norueguês Cinza




caes_logo

elkhoundO Elkhound Cinza é um cão muito popular, atualmente na Noruega, mas sempre foi muito conhecido e apreciado.

Em compensação, aqui, muito poucos privilegiados têm chance de partilhar das delícias cotidianas com um companheiro tão maravilhoso; embora todos os que conseguiram conquistá-lo, com ele permaneceram definitivamente ligados, profundamente convencidos de seus inegáveis méritos! Suas qualidades de companheiro completam, o Elkhound possui particularidades de temperamento muito marcantes, e, para amá-lo, bem como, para tornar-se querido, é necessário ser, não somente, sensível, mais ainda melhor, encantado, por esses aspectos fundamentais do seu caráter que às vezes é social e independente.

Social: se o Elkhound, graças a uma vida em comum bem sucedida, se apega profundamente a seus donos e os aprecia entre os outros, é disposto a acolher igualmente, qualquer outra pessoa que se apresente amigavelmente. Embora reconheça claramente o interesse sincero do falso, efêmero ou duradouro, circunstancial ou profundamente enraizado. É, exatamente, essas considerações, conferidas a cada instante, que permitiu a eclosão de um afeto partilhado com seus donos e um apego à casa transformando-a em seu lar.

Nestas condições, defenderá, por amor, em qualquer circunstância (e não por adestramento, para o qual se revela inapto). Em outros termos, reafirmamos, ainda mais uma vez, que ele é de índole sociável, e que, de forma alguma é agressivo! e que ele é um “um cão gentil” em oposição ao “cão chamado (de fato) agressivo”. E, apesar disso, assegura, paradoxalmente uma proteção certa e segura de seu mundo (pessoas e lugares) revelando uma extrema vigilância ao avisar por seus sonoros e veementes latidos ao menor sinal de invasão distinguindo dos ruídos habituais, sempre mantendo seu comportamento de devoção irrepreensível!

Independente: longe de contradizer sua propensão à sociabilidade, a independência do Elkhound a completa! Com efeito, caráter independente quer dizer: inclinado à iniciativa, o julgamento pessoal de uma situação e o Elkhound, em sua pequena idéia sobre tudo que o cerca, se reserva do mundo que descobre, no seu lugar. Se prestarmos atenção ouvindo-o e observando-o, respeitando suas iniciativas, perceberemos que o que ele procura fazer é se adaptar às particularidades dum lugar, dum lar, para escolher e determinar o seu espaço. Se tentarmos impor qualquer coisa, seja pela força ou pela autoridade, será um contra-senso. Ao contrário, sua educação deve incluir sua compreensão e sua aceitação. Ao lado de seu dono, requer um pouco de paciência, indulgência, dedicando interesse em seu olhar, e o esforço para, de sua parte, responder. Pacto pelo acordo de respeito mútuo, é o sucesso total.

Ele tem, também, necessidades físicas que devem ser satisfeitas. Como é agitado e dinâmico, é necessário dar-lhe cotidianamente, a oportunidade de expressar e desgastar energia, para que possa verdadeiramente se expandir.

Necessita poder correr no maior espaço possível… e mais ainda, com a participação de seu dono.

E mais, ele é inclinado à caça, que, por sorte, lhe permite expandir todas as particularidades de seu caráter. Mas isso é outro assunto que não será abordado aqui.

elkhound2PADRÃO DA RAÇA

Padrão FCI nº 242.
Origem: Noruega;
Nome de origem: Norsk Elghund Grä;
Utilização: caça.
Classificação FCI – – grupo 5 – Cães Spitz e Tipo Primitivo;
– Seção 2. – Cães Nórdicos de Caça;

ASPECTO GERAL – é um cão típico do norte, compacto e relativamente curto, com uma pelagem espessa e abundante, sem ser eriçada, e orelhas eretas; a cauda é bem encaracolada e portada sobre o lombo.
– –
TALHE – altura na cernelha: machos 52 cm e fêmeas 49 cm
– – comprimento: (padrão não comenta).
– peso: (padrão não comenta).
– –
TEMPERAMENTO – (padrão não comenta).
– –
PELE – (padrão não comenta).
– –
PELAGEM – dupla, densa, abundante, resistente às intempéries; curta e lisa, na cabeça e face anterior dos membros; mais longa na face dorsal do pescoço, culotes e face ventral da cauda. Pelagem formada de pêlos longos e rústicos, escuro nas extremidades, subpêlos claros e lanosos. Em torno do pescoço e no antepeito, forma uma juba, o que, com as orelhas eretas, os olhos enérgicos e a cauda emplumada, confere, ao cão, o seu aspecto peculiar e único.
– –
COR – cinza de diversas tonalidades, com as extremidades pretas, nos pêlos mais longos; mais clara no antepeito, ventre, membros e sob a cauda. Qualquer variação, diferente da cor cinza, é muito indesejável e as nuanças, muito claras ou muito escuras, devem ser evitadas. Manchas acentuadas nos membros e patas são indesejáveis.
– –
CABEÇA – larga entre as orelhas;
Crânio – de perfil, a testa e o occipital são ligeiramente arqueados;
Stop – é claramente definido, embora moderado.
Focinho – moderadamente longo, mais largo na raiz e, visto de cima ou de perfil, afina suavemente por igual, sem ser pontudo. A cana nasal é reta e maxilares fortes,
Trufa – (padrão não comenta).
Lábios – firmemente ajustados.
Mordedura – (padrão não comenta).
Olhos – inserção no plano da pele, marrons, o mais escuro possível, de expressão franca esperta e amistosa.
Orelhas – inserção alta, firmes, eretas e ligeiramente maior na altura que na largura da base, pontudas e com muita mobilidade.
– –
PESCOÇO – comprimento médio, bem musculoso, bem inserido e bem portado.
– –
TRONCO –
Linha superior – longa e reta da cernelha à raiz da cauda;
Cernelha – (padrão não comenta).
Dorso – (padrão não comenta).
Peito – largo e profundo, no nível dos cotovelos.
Costelas – bem arqueadas.
Ventre – muito pouco esgalgado.
Lombo – musculado de acoplamento curto;
Garupa – (padrão não comenta).
– –
MEMBROS
Anteriores – membros firmes, vigorosos e aprumados, com uma boa ossatura;
Ombros – (padrão não comenta).
Braços – (padrão não comenta).
Cotovelos – bem ajustados.
Antebraços – (padrão não comenta).
Carpos – (padrão não comenta).
Metacarpos – (padrão não comenta).
Patas – compactas; de formato oval e corretamente direcionadas para a frente; dígitos bem fechados; unhas rígidas e fortes.
– –
Posteriores –
Coxas – (padrão não comenta).
Joelhos – (padrão não comenta).
Pernas – (padrão não comenta).
Metatarsos – (padrão não comenta).
Jarretes – retos e sem ergôs.
Patas – compactas; de formato oval e corretamente direcionadas para a frente; dígitos bem fechados; unhas rígidas e fortes.
– –
Cauda – inserção alta, bem encaracolada e portada sobre a linha central do dorso. Sua pelagem é densa e espessa.
– –
Movimentação – normal, para um cão ativo, construído para desenvolver agilidade e resistência. No trote, a passada é uniforme e fluente; a garupa permanece de nível. À medida que a velocidade aumenta, as passadas convergem para a linha central da projeção do corpo no solo, de modo que as marcas, das quatro patas, seguem a mesma trilha (single-track). Os anteriores e os posteriores têm as angulações e musculatura bem balanceadas
– –
Faltas – avaliadas conforme a gravidade.
– –
DESQUALIFICAÇÕES – as gerais.
– –
NOTA: os machos devem apresentar dois testículos de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.

Lucia Helena Salvetti De Cicco
Diretora de Conteúdo e Editora Chefe