Saúde Animal

Saude Animal

Saúde Animal

Enjôos, náuseas, vômitos… Seu cão passa mal em viagem?




caes_logo

passeando_carro3A que se devem os enjôos?

O automóvel, o barco, o avião e outros meios de transporte submetem os seus passageiros a movimentos diversos. Os solavancos e acelerações do veículo repercutem nos canais semicirculares do ouvido (responsáveis pelo sentido do equilíbrio), causando uma desorientação e provocando o enjôo. A isto dá-se o nome de NAUPATIA, que não é uma doença, mas incomoda tanto que pode transformar um simples passeio num verdadeiro suplício.

Os sintomas podem ser mais ou menos pronunciados e vão desde a angústia até a vertigem, do simples mal-estar as náuseas e vômitos, passando por bocejos e salivação abundante. A angústia e o medo provocados pela indisposição aumentam o mal-estar e vice-versa.

Cria-se então um verdadeiro círculo vicioso, reforçado pelo fato das queixas do cão ou as conseqüências visíveis de seu mal-estar irritarem o motorista, que com sua reação aumenta mais a inquietação do cão.

passeando_carroA prevenção

Manter o animal em jejum antes da viagem não o impedirá de se sentir mal ; servirá apenas para reduzir a quantidade de líquidos ou sólidos vomitados.

A melhor terapia contra enjôos é habituar o cão a andar de carro e agir de modo que o passeio seja um momento de prazer para ele.

Dicas:

1ª) Tentar reduzir ao máximo os solavancos, as freadas bruscas e as acelerações súbitas, dirigindo com tranqüilidade e fazendo inicialmente pequenos circuitos. Uma condução rápida tem sobre os cães quase os mesmos efeitos desagradáveis que as turbulências no avião ou o forte balanço num barco.

2ª) Fazer paradas do tipo “xixi-esticar as pernas-descansar “, tendo sempre o cuidado de pôr-lhe o guia antes de abrir a porta do carro, pois o cão em pânico ou sentindo-se mal, fugirá ao ver-se em liberdade.

3ª) Lutar contra a angústia que se apodera do cão, lançando mão de todos os meios: conversando e acariciando-o, fazendo festa e, até usando medicamentos.

passeando_carro4Tratamento

Cabe aqui esclarecer que as indicações que darei a seguir se destinam a uma orientação e não dispensam a consulta a um veterinário.

Apesar de ser veterinária alopata, neste caso lanço mão da homeopatia, pois há dentro dela medicamentos preparados a partir de substâncias que, em dosagem ponderal, provocam no animal saudável sintomas semelhantes aos do enjôo : lei das semelhanças. Nem antinauseantes, nem tranqüilizantes, os remédios serão tanto mais eficazes quanto mais os sintomas se parecerem com os descritos. Por isto, é importante o papel do proprietário como observador. Se a viagem for curta, o medicamento deve ser administrado na véspera (15 CH).

Se a viagem for longa, sua administração deve começar dois a três dias antes. Durante a viagem, o cão deve receber o medicamento a cada 2 horas, 10 gotas ou 3 grãos, na dinamização 5 CH.

BORAX – específico para náuseas provocadas por turbulência de avião, balanço do mar e descida brusca do elevador.

COCCULUX – indicado para o cão que fica prostrado e silencioso, com a cara para dentro do carro, como querendo se esconder. EUPHORBIA – para o cão muito angustiado que sofre de náuseas violentas e cujos vômitos são abundantes e repetidos

HYOSCIAMUS – para o cão agitado, de humor inconstante, que fica com as pupilas dilatadas.

TABACUM – tranqüiliza o cão imóvel, cujo corpo fica gelado, os olhos fechados e procura o ar livre colocando o focinho para fora da janela.

Dra. Marília Russi de Carvalho
CRMV-SP 3652
www.semabeagles.com.br