Saúde Animal

Elefantíase

A filariose é causada por vermes conhecidos popularmente como filárias. A espécie mais comum no Brasil é a de nome científico Wulchereria bancrofti.

A filariose é muito comum em países tropicais, ou seja, com clima quente e úmido a maior parte do ano. Isso inclui o Brasil e América Central e Latina, a China, o Sudeste asiático e a África.

As filárias têm o corpo fino e alongado. Elas são transmitidas para o homem através da picada de um inseto, o mosquito do gênero Culex. Esse mosquito é considerado um hospedeiro intermediário, enquanto o homem é o hospedeiro definitivo.

Quando esses mosquitos picam uma pessoa, as larvas das filárias caem direto no sangue humano e se instalam nos vasos e gânglios linfáticos. Depois de três meses, as larvas já estão adultas e começam a se reproduzir, criando novas larvas. Uma curiosidade dessa doença é o fato de que os vermes adultos ficam instalados no sistema linfático, enquanto suas larvas circulam pelo corpo inteiro através do sangue.

Nos canais linfáticos, as filárias causam diversas feridas e inflamações. Com o tempo ocorre a hipertrofia da região afetada, ou seja, o local fica muito maior do que o normal.

Essa doença é conhecida popularmente como elefantíase, pois deixa as pessoas doentes com algumas partes do corpo muito maiores do que o normal, geralmente as pernas, o escroto (nos homens) e as mamas (nas mulheres).

Para se evitar contrair a filariose deve-se combater os insetos, mantendo sempre sua casa e os locais de convívio muito bem limpos.

 

Copyright®1997/2010 - Comercial De Cicco. Todos os direitos reservados. Qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação deste conteúdo é expressamente proibida, estando sujeito o infrator às sanções legais cabíveis, de acordo com a lei 9610/98