menu_zoo Outros Vermes Répteis Protozoários Primatas Poriferos Peixes Moluscos Miriápodes mamífeors Insetos Felinos Fauna Brasil Equinodermos Crustáceos Celenterados Aves Aracnídeos Anfíbios Ameaçados Acrânios


ALCON

Google
 
Fauna Brasileira


Sagüi-de-tufo-branco

Para ouvir novamente o som do Sagüi clique aqui

Sagui de tufos-brancos no cativeiroFILO: Chordata
CLASSE: Mammalia
ORDEM: Primatas
FAMILIA: Callithrichidae
NOME CIENTIFICO: Callithrix jacchus
NOME EM INGLES: Common marmoset
OUTROS NOMES: Saguim comum; sagüim, sauim, xauim, sauí, soim, massau, tamari, mico, miquinho.
PREDADOR: Seus piores inimigos são as aves de rapina.
CARACTERÍSITCAS:
Comprimento: até 30 cm, mais de 35 cm de cauda.
Peso: até 240 g
Cauda: não prensil
Cria: 1 a 3 filhotes.
Período de gestação; 150 dias
Tempo de vida: até 20 anos.

Os sagüis são menores os macacos que existem, sua cauda longa nunca preênsil, a cabeça mais longa que larga, unhas longas com a forma de garras (exceto a do polegar) e pela presença de 32 dentes, sendo oito incisivos, quatro caninos, doze pré-molares e oito molares. O polegar não se opõe completamente, mas o hálux sim.

Sagui na naturezaVivem nas selvas da América do Sul e América Central, são encontrados desde a Zona do Canal, no Panamá, até o Estado do Paraná, mas não ocorrem na Venezuela e em certas áreas da Colômbia e Guianas. Os grandes centros de distribuição das espécies são a floresta amazônica e a floresta atlântica. Poucas espécies existem nos cerrados do Brasil Central.

Animais tipicamente florestais, lembram os esquilos pelo seu comportamento e na forma do corpo. Raramente adotam a postura bípede. Apoiam-se sempre nas quatro patas, ou deitam-se nos galhos, com a cauda pendente.

Suas garras são utilizadas para subir nos troncos e para retirar insetos e larvas do interior dos galhos e das árvores. Raramente saltam de uma árvore para outra que esteja a distância, mas, como geralmente as copas se tocam, atravessam com agilidade as pontes formadas pelos ramos. Abrigam-se nos ocos dos troncos, mas não constroem ninhos.

Sagui de tufos-brancos Os sagüis vivem em grupos pequenos (também podem ser vistos sozinhos ou em pares). As vezes formam bandos que, nas regiões pouco freqüentadas pelo homem, podem reunir trinta ou quarenta indivíduos. Já foi observado bandos mistos, formados por animais de duas ou três espécies distintas. Dormem umas doze a quatorze horas por dia. Gostam de brincar de briga e de esconde-esconde.

O sagui comum se distingue das outras 8 espécies do gênero Callithrix pelo seu corpo
frágil e pelos dois tufos de pelo branco que tem em cada orelha. Vive nas florestas densas da Amazônia. Os grandes bandos de sagüis são perigosamente organizados de acordo com uma hierarquia, e isso é demonstrado de várias formas. Um sagui demostra sua superioridade em relação a outro virando-lhe o traseiro. Isso difere curiosamente do habito de alguns macacos africanos, entre os quais este gesto indica submissão.

Apesar o desenvolvimento da caixa craniana, o cérebro é pobre em circunvoluções e cobre completamente o cerebelo.

O sagui apesar de seu temperamento inconstante, acostuma-se facilmente ao cativeiro. Ele detesta o frio. Costuma juntar pedaços de pano em sua gaiola e faz um ninho onde possa se abrigar. Sua alimentação deve ser variada e constar de frutos, sementes de girassol, legumes, ovos e tenébrios, indispensáveis como fonte de proteínas. Em liberdade caçam insetos, dos quais são grandes apreciadores.

Possuem domínios definidos e os bandos instalam-se nas proximidades das fruteiras, na mata, repetindo os mesmos percursos todos os dias. Utilizam as mesmas árvores e os mesmos galhos durante os deslocamentos.

A família compreende quatro gêneros e cerca de trinta e cinco espécies. Os sagüis, que pertencem aos gêneros Callithrix e Cebuella, distinguem-se dos tamatins, Leontideus e Saguinus, por possuírem os dentes incisivos inferiores alongados, do tamanho dos caninos. Variam de cor, do branco puro ao negro.

REPRODUÇÃO

Fêmea com filhoteSeu período de gestação é de aproximadamente 151-156 dias. A gestação varia de 140-146 dias. Alguns semanas antes de dar à luz as fêmeas ficam menos ativas. Parem sempre gêmeos, ao contrário dos Cebídeos. Eles não devem ser perturbados quando estiverem dando à luz. Normalmente acontece à noite e o parto leva aproximadamente uma hora. Este trabalho de parto é cálculo levado em consideração o tempo entre as primeiras contrações até o nascimento do primeiro sagüizinho. O intervalo entre os dois filhotes normalmente é 2-5 minutos. A placenta normalmente sai em 10-30 minutos depois do nascimento do último filhote e é comido pelo de grupo fêmeas e outros membros do grupo.

O chefe da família tem a obrigação de cuidar dos filhos. Pequenininho, o sagüi se agarra no peito do pai e só volta para junto da mãe na hora de mamar. Na hora de atravessar os galhos e correr pelas árvores, é o pai que carrega os filhotes.

Com 30 dias de vida, os filhotes começam a comer um pouco de comida: insetos, ovos, somente com comida sólida. Normalmente os filhotes mamam até os 6 meses. Com a idade de 15 a 18 meses os sagüis já são capazes de se reproduzirem.

Olhe o quadro ao lado e poderá ver a diferença entre um macho ou uma fêmea. Eles podem ser diferenciados examinando a genitália.

 

 

 

Alimentação:

A alimentação na natureza é constituída de insetos, répteis e outros pequenos animais, ovos, alguns vegetais, frutas e gomas de árvores. Costumam descer ao solo apenas para beber água.

Em cativeiro, devem ser alimentados com ração para primatas (Alcon Club Monkey Cookies), complementada com uma fruta (banana, mamão, maçã, manga, laranja, uva, entre outras), um legume (cenoura, vagem, beterraba, quiabo, batata-doce, inhame, todos cozidos e sem sal) e uma fonte protéica (pedaços de carne, frango desfiado, ovos, soja, queijo fresco, tenébrios ou grilos). Podem ser oferecidas ainda goma sem açúcar, geléia de mocotó e gelatina sem sabor. Não devem ser utilizados chocolate e salsichas na alimentação de saguis, já que possuem componentes tóxicos a estas espécies.

Várias espécies de sagüi

 

 

 

 

 

 

 

Bibliografia:

    Enciclopédia Os Animais -
    Editora Bloch - 1872 - Rio de janeiro
    Mil Bichos-
    Editora Abril - 1975 - São Paulo
    Vida Selvagem -
    Nova Cultural - 1981- São Paulo
    Mamíferos -
    Enciclopédia Infantil Brasileira - 1959

    Lúcia Helena Salvetti De Cicco
    Diretora de Conteúdo e Editora Chefe

Versão para imprimir

CONDIÇÕES DE USO DE IMAGENS E TEXTOS


Copyright®1997/2011 - Comercial De Cicco. Todos os direitos reservados. Qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação deste conteúdo é expressamente proibida, estando sujeito o infrator às sanções legais cabíveis, de acordo com a lei 9610/98. Política de Privacidade e Segurança



Saúde Vida On line


Entre para a família Saúde Animal e personalize sua navegação.

 



Alcon CLUB
MONKEY COOKIES