linha


linha


Entre para a família Saúde Animal.

linha

Entre e faça uma homenagem ao seu amigo.


CONDIÇÕES DE USO DE NOSSAS IMAGENS E TEXTOS

ALCON

Google
 

Spaniel do Tibet
Tibetan Spaniel


Pouco é o que sabe a respeito da origem deste pequeno spaniel oriental e somente pode-se aventurar hipóteses. Já dissemos que o povo do Tibet enviava a Pequim, ao imperador do Celeste Império, presentes anuais. Não se deve excluir, portanto, a possibilidade de que o imperador retribuísse a oferenda de cães tibetanos com cães chineses igualmente preciosos. Talvez fossem happa, considerados por alguns como antepassados do pequinês e do carlino (pug), e, portanto teriam intervindo na formação do spaniel tibetano.

Um cão parecido com o tibetan spaniel também era conhecido na Coréia, no reino de Silla, no principio do século VIII da nossa era. A Coréia do Sul, tinha, então, relações com o Japão e alguns exemplares deste tipo foram levados como presente ao imperador das ilhas japonesas por enviados da casa real de Silla, precisamente no ano 732 D.C. O spaniel japonês (tchin) ter-se-ia originado daqueles cães. Algumas fontes veriam precisamente nos tchin os cães presenteados pela região de Shinra (Coréia) ao imperador do Japão, e pode-se considerar que as diferenciações prosseguiram com o tempo até alcançar o tipo moderno de tchin. De Tudo isto podemos deduzir que o tibetan spaniel é o tchin em sua antiga forma.

PADRÃO DA RAÇA - SPANIEL DO TIBET- Bruno Tausz

Padrão FCI nº 231 - 11 de maio de 98 / P.
Data da publicação 24/06/1987.
Origem: Tibete.
Nome de origem: Grã-Bretanha.
Utilização: cão de companhia.
Classificação FCI  - grupo 9 - Cães de Companhia; 
- Seção
5 - Raças Tibetanas.
- Sem prova de trabalho.

ASPECTO GERAL - pequeno, ativo e alerta. Silhueta bem equilibrada, tronco ligeiramente mais longo que a altura na cernelha.
- -
PROPORÇÕES - (padrão não comenta).
- -
TALHE - altura na cernelha: 25,4 cm.
- - comprimento: (padrão não comenta).
- peso: ideal 4,1 a 6,8 quilos.
- -
TEMPERAMENTO - alegre e autoconfiante, altamente inteligente, arredio para com estranhos. Alerta, leal mas independente.
- -
PELE - (padrão não comenta).
-- -
PELAGEM - a pelagem externa é sedosa, lisa nas faces e região anterior dos membros, de comprimento moderado no tronco mas, caindo mais para achatadas. Subpêlo fino e denso. Orelhas e região posterior dos membros requintadamente franjadas, cauda e culotes bem guarnecidos de pêlos mais longos. Sem exageros, as fêmeas tendem a ter menos pelagem e juba que os machos.
- -
COR - todas as cores e mistura de cores são permitidas.
- -
CABEÇA - proporcionalmente ao tronco é pequena, de porte orgulhoso. Masculina nos machos mas sem rusticidade.
- Crânio - ligeiramente arqueado, largura e comprimento moderados.
- Stop - ligeiro mas definido.
- Focinho - de comprimento médio. Romboédrico e almofadado, sem pregas. Queixo revelando alguma profundidade e largura.
- Trufa - preferivelmente preta.
- Lábios (padrão não comenta).
- Mordedura - ligeiramente prognata. Dentes regularmente inseridos e a mandíbula larga entre os dentes caninos. Desejável a dentadura completa. A língua e os dentes devem estar ocultos com a boca fechada.
- Olhos - marrom escuros, ovais, brilhantes e expressivos, de tamanho médio, inseridos moderadamente afastados mas de olhar direcionado para a frente. Orla das pálpebras pretas.
- Orelhas - de tamanho médio, pendentes, bem franjadas em cães adultos, inseridas moderadamente altas. Desejável um leve afastamento da cabeça mas sem esvoaçar. Orelhas longas, pesadas e de inserção baixa são atípicas.
- -
PESCOÇO - moderadamente curto, forte e bem inserido. Revestido com uma juba ou xale de pêlos longos, mais pronunciados nos machos que nas fêmeas.
- -
TRONCO - ligeiramente mais longo da cernelha à raiz da cauda que a altura na cernelha.
- Cernelha (padrão não comenta).
- Dorso - nivelado
- Peito (padrão não comenta).
- Costelas - bem arqueadas.
- Ventre (padrão não comenta).
- Lombo (padrão não comenta).
- Garupa (padrão não comenta).
- -
MEMBROS
Anteriores - ossatura moderada; membros ligeiramente angulados mas de ombros firmes.
- Ombros - bem inclinados.
- Braços (padrão não comenta).
- Cotovelos (padrão não comenta).
- Antebraços (padrão não comenta).
- Carpos (padrão não comenta).
- Metacarpos (padrão não comenta).
- Patas - de lebre. Pequenas e elegantes com franjas entre os dígitos freqüentemente estendendo-se além das patas. Patas arredondadas, de gato é indesejável.
- -
Posteriores - robustos e bem construídos.
- Coxas (padrão não comenta).
- Joelhos - moderadamente angulados.
- Pernas (padrão não comenta).
- Metatarsos (padrão não comenta).
- Jarretes - bem curtos, visto por trás, verticais.
- Patas - de lebre. Pequenas e elegantes com franjas entre os dígitos freqüentemente estendendo-se além das patas. Patas arredondadas, de gato é indesejável.
- -
Cauda - de inserção alta, ricamente emplumada e, em movimento, é portada alta em anel ou sobre o dorso. (Em repouso a cauda portada pendente não deverá ser penalizada).
- -
Movimentação - veloz, reta, fluente e positiva.
- -
Faltas - avaliadas conforme a gravidade.
- -
Faltas graves - (padrão não comenta).
- -
DESQUALIFICAÇÕES - as gerais.
- -
NOTA: os machos devem apresentar dois testículos de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.

 

Lucia Helena Salvetti De Cicco
Editora Chefe e Diretora de Conteúdo


 



Copyright®1997/2011 - Comercial De Cicco. Todos os direitos reservados. Qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação deste conteúdo é expressamente proibida, estando sujeito o infrator às sanções legais cabíveis, de acordo com a lei 9610/98. Política de Privacidade e Segurança



Anuncio160x240


Saúde Vida On line