Saúde Animal

Saude Animal

Saúde Animal

Zoo

  • Tangará Dançarino

    Possui cerca de 13 centímetros e apresenta forte dimorfismo sexual. (veja, logo abaixo, o vídeo) Os machos têm plumagem azul-celeste, cauda preta com duas penas centrais mais longas que as outras e, no alto da cabeça, uma brilhante coroa vermelha. Os mais jovens são verde-oliva, diferindo das fêmeas pela coroa vermelha que nasce antes da mudança das plumas no restante do corpo; só atingem a plumagem adulta com dois anos […]

  • Sagüí-cabeça-de-algodão

    O sagüi-cabeça-de-algodão é o único calitriquídeo que habita a parte ocidental dos Andes. É um habilíssimo saltador capaz de cobrir uma distância de mais de 3 metros entre uma árvore e outra. Para se comunicar com membros de seu grupo, ele usa sons característicos que parecem um chilreio de pássaro. Vive por toda a Colômbia, das “terras quentes” da costa atlântica aos vales centrais e ao noroeste, na fronteira com […]

  • Almiscareiro

    O almiscarado já foi tão caçado que só subsistiu porque vive em locais de difícil acesso. Essa caça sistemática ocorreu porque o macho tem na virilha uma bolsa cheia de uma secreção extremamente odorífera: o almíscar. Essa secreção é usada desde a Antiguidade como fixador na fabricação de perfumes. Para sorte desse animal, o almíscar vem sendo substituído por produtos sintéticos. O almiscarado vive em quase toda a metade leste da […]

  • Arapapá

    Ao nascer, os filhotes de aves costumam ter um “dente de ovo”. É um prolongamento da parte arapapasuperior do bico que o filhote usa para quebrar a casca de ovo. Esse dente cai pouco tempo depois. Algu possui dois deles, um em cada mandíbula. Solitário e arredio, o arapapá é pouco conhecido, pois tem hábitos noturnos e vive em locais de difícil acesso, como pântanos e moitas ao longo dos […]

  • Saiga

    Saiga (Saiga tatarica) é uma espécie de antílope em perigo crítico que originalmente habitava uma vasta área da zona de estepes da Eurásia, do sopé das montanhas dos Cárpatos, além de regiões do Cáucaso, da Dzungaria e da Mongólia. Eles também viveram na região da Beríngia, entre a Ásia e a América do Norte, durante o Pleistoceno. A característica que mais se faz notar na saiga é o seu nariz […]

  • Rena

    A fêmea tem sido caçada pelo homem nas estepes e nas florestas geladas desde a Idade da Pedra. Era a caça predileta dos lapôes, assim como o bisão era a dos índios americanos. O homem primitivo comia sua carne, usava sua gordura para produzir luz e dos seus osso fazia lanças, flechas e ferramentas. As renas eram pintadas nas paredes das cavernas. Posteriormente, com os primeiros rebanhos, o homem passou […]

  • Gaial

    O Gaial semidomesticado descende do gauro selvagem, um bovino que vive nas florestas da Índia e da Indochina. O gaial vive também nessa região. É menor e pesa 800kg, enquanto o gauro pesa até 1 tonelada. Em compensação, o gaial é mais manso e menos perigoso ao homem. Raramente visto em um curral, ele vive principalmente em rebanhos nas florestas de bambus e vegetação fechada na vizinhança das cidades. Pasta o […]

  • Socó – Em caso de perigo bico para o céu

    Que mugido estranho e inesperado é esse, que pode ser ouvido a mais de 500m? Uma vaca atolada na lama? Não perca seu tempo olhando. O mugido é produzido por um socó ou abetouro macho, perfeitamente escondido entre os juncos. Essa ave parece uma garça pequena, com plumagem amarelada salpicada de negro. Ninguém sabe exatamente como é que ela produz esse som tão estranho. Certamente não é enterrando o bico […]

  • Berbigão – Um Jeito estranho de andar

    Um berbigão pode ser confundido com uma pedra. Porque ele permanece muito tempo no mesmo lugar, muitas vezes com um pedacinho de alga preso à concha. Tem um jeito estranho de andar: estende um “pé” procura alguma pedrinha que possa funcionar como apoio e então se distende como uma mola, fazendo a concha rolar até 20 cm. Muitas vezes, o “pé” é usado para enterrar-se na areia. Em todo o […]

  • O Fantástico Mundo das Serpentes

    Dependendo da região do mundo em que estamos, temos duas reações típicas frente às serpentes: adoração ou ódio. A adoração vem, na maioria das vezes, acompanhada por explicações religiosas. O ódio também vem acompanhado, mas pela falta de informação frente a estes seres. A imagem que carregamos das cobras é de que são seres perigosos, que só oferecem risco aos seres humanos, e que devem ser mortas. Não é bem […]

Nesta Categoria

Facebook Saúde Animal